domingo, 28 de setembro de 2014






 Ilse Koch (nascida Margaret Ilse Köhler) nasceu dia 22 de setembro de 1906, na Alemanha, na cidade de Dresden. Era filha de um operário (sua mãe chama-se Anna e seu pai Emil), e na escola era uma criança alegre e comportada. Aos 15 anos deixou a escola, foi trabalhar numa fábrica mas logo foi trabalhar em uma biblioteca. Nesse emprego, começou a ter seus primeiros contatos com membros do Partido Nazista, aos quais ficou encantada.

 A bela ruiva começou a carreira no partido como secretária em Dresden até que foi promovida a guarda feminina no campo de concentração de Sachsenhausen ,perto de Berlim, aberto em 1936. Lá ela conheceu Karl Otto Koch, um oficial da SS que era comandante em Sachsenhausen . Em maio de 1937, Ilse casou-se com Karl Koch, cuja primeira união havia falhado. 

Quando Koch foi transferido a Buchenwald para ser primeiro comandante em agosto 1937, ela o acompanhou.  Ilse gostava que os  internos do campo se dirigissem a ela como "Gunadige Frau" (termo reservado às mulheres da nobreza). Ficou famosa no campo por seu autoritarismo.

Ilse Koch em sua juventude.


A relação de Karl e Ilse era insólita, cercada de dúvidas. Muitos disseram que era uma "relação aberta" e que Ilse costumava ficar com outros homens na ausência de Karl Koch. Ilse teve três filhos com Karl: Artvin Koch, Gisela Koch e Gurdrun Koch, este último morreu de forma súbita enquanto Ilse e Karl estavam de férias esquiando, a irmã de Ilse, Erna, também babá da criança, entrou em contato com eles pedindo que viessem imediatamente, contudo a menina veio a morrer na ausência dos pais, com menos de um ano de vida. O casal era tido como "casal ariano perfeito" pelos demais nazistas, em especial por Himmler, que arranjou o casamento deles. Em 1943, Karl foi acusado por membros do próprio Partido Nazista de saque ao Terceiro Reich, alegando que Karl roubava pertences de prisioneiros que chegavam ao campo.  Em Agosto de 1943 Karl Koch foi capturado pela Gestapo, acusado de corrupção. Foi considerado culpado e executado em Abril de 1945. Ilse também foi acusada só que foi considerada inocente.



Ilse e Karl Koch.









Após a guerra, Ilse Koch não tentou se esconder e depois que os prisioneiros livres contaram suas histórias sobre seu comportamento às forças armadas americanas, foi fácil derrubá-la e prendê-la como uma criminosa da guerra. Foi acusada de participar "de um projeto comum" para violar as leis de guerra, mas a acusação específica era o crime de selecionar prisioneiros de Buchenwald para serem mortos a fim ter os abajures feitos de pele tatuada. Três partes de pele tatuada e uma cabeça encolhida foram exibidas na corte em Dachau como a evidência dos crimes cometidos pela equipe de funcionários em Buchenwald.  Essas "cabeças", na verdade, mais tarde soube-se que eram feito de um tipo de plástico. Tudo o que foi dito contra ela lhe causou surpresa. Disse que não tentou fugir ou esconder-se pois não havia cometido nada de errado. Algumas fontes dizem que as fotos que nos são apresentadas de supostas peles tatuadas confeccionadas por Ilse não são verdadeiras, fazem parte de um filme de Billy Wilder.


 Grávida de oito meses, em 1947. A paternidade de Uwe ainda é desconhecida.


video
                                                               Ilse Koch no Tribunal de Dachau (1947)









Ilse Koch durante a continuação de seu julgamento, 1947.


Em seu julgamento, em 1947, Ilse chocou os presentes por estar grávida, aos 41 anos, sendo que havia sido mantida em isolamento e recebeu apenas visitas de interrogadores americanos, que em sua maioria eram judeus. Naquele ano, nasceu deu à luz na cadeia a seu filho, Uwe Kohler. 








Ilse Koch com seu filho Artvin Koch.




Ilse Koch no Tribunal de Dachau, abril de 1947, aos 4 meses de gravidez.







A investigação durou oito meses e em 1947 Ilse Koch foi condenada a prisão perpétua. É interessante analisar um ponto: em seu julgamento de 1947, foram feitas acusações dos supostos abajures feitos de pele humana que Ilse teria confeccionado, mas não conseguiram provar nada, pois estes eram feitos de pele de cabra. Foi alegado que os artefatos que foram encontrados em sua casa, em 1945, e usados contra ela no tribunal, não tinham como ser de Ilse, pois esta havia se mudado da casa em 1943, por causa do julgamento de Karl Koch. Em 1949, por falta de provas e após ter permanecido dois anos na prisão, o general Lucius D. Clay, controlador militar da zona americana na Alemanha, solicitou sua libertação. Devido à manifestações internacionais, Koch foi presa novamente e condenada novamente à prisão perpétua no dia 15 de janeiro de 1951.

Ilse Koch passou a ser conhecida como "The Bitch of Buchenwald", apelido dado pela mídia americana.  



Ilse Koch em dezembro de 1950, num tribunal fechado. No ano seguinte, em 15 de janeiro de 1951, ela seria condenada novamente à prisão perpétua.





  








video

Pequeno resumo sobre a vida de Ilse Koch.


Em sua prisão, estava aprendendo inglês, pois tinha esperanças de ser liberta e pretendia ir para a Austrália.Na prisão feminina de Aichach (Alemanha), no dia 01 de setembro de 1967, aos 60 aos de idade, Ilse tomou uma refeição normal antes de escrever uma última carta ao filho, Uwe Kohler (Uwe, após Ilse dar-lhe à luz, foi adotado por uma família, e soube quem era sua mãe biológica em 1966, e começou a visitá-la). Ilse frequentemente escrevia poesias para ele, mas não era isso que ela escreveria nessa carta. Queixava-se amargamente de ter sido bode expiatório dos escalões mais altos do Partido Nazista, e disse que não havia outra solução para ela se não a morte.  Depois disso, emendou uns lençóis em sua cela e enforcou-se. No dia seguinte, quando Uwe foi visitar sua mãe, ficou chocado ao saber que ela havia se suicidado na noite anterior. Uwe disse que se dedicaria a limpar o nome da mãe, mas depois desse episódio nunca mais teve-se sua notícia. O corpo de Koch foi enterrado num túmulo anônimo no cemitério de Aichach.

Devo confessar que tenho muitas dúvidas com relação a esse suposto suicídio.  Por que Ilse, que estava começando a fortalecer sua relação com Owe, iria se matar?  
Ilse com seus filhos.



Ilse na juventude.




1947.



Ilse Koch e Karl Koch.




                                                   
1947.


video
Vídeo de Ilse Koch no Tribunal de Dachau, 1947, grávida de quatro meses.










Para finalizar, algumas fontes:   sites: http://southendpatriot.blogspot.com.br/2015_02_01_archive.html , falam de diversas pessoas, entre elas Ilse Koch. 

http://informacaoincorrecta.blogspot.com.br/2015/03/o-holocausto-parte-ii.html.